internet

Internet: como manter o equilíbrio?

Ainda não é possível avaliar plenamente o impacto da digitalização e da internet na humanidade. O uso exagerado da internet, entretanto, já demonstrou seu potencial de nos adoecer, e já conhecemos alguns dos seus impactos para a nossa saúde mental.

Ainda não é possível avaliar plenamente o impacto da digitalização e da internet na humanidade. Essa ferramenta está precipitando a maior revolução comportamental da história da nossa espécie e, por estar apenas no começo, ainda é um mistério. O uso exagerado da internet, entretanto, já demonstrou seu potencial de nos adoecer, e já conhecemos alguns dos seus impactos para a nossa saúde mental.

O uso maciço da internet já mostrou claramente seu potencial adoecedor para a nossa saúde mental.

A participação em vários grupos de WhatsApp, as infinitas horas que ficamos conectados ao Facebook e ao Instagram, os inúmeros vídeos do YouTube… Essas e outras atividades têm nos enchido com uma quantidade de informações que ultrapassa muito a nossa capacidade de processamento. Uma consequência disso é que, quanto mais tempo ficamos conectados na internet, mais nos sentimos cansados e frustrados com a vida. Dessa forma, a internet, que é uma ótima ferramenta e nos traz tantas praticidades cotidianas, também pode nos fazer mal.

Como devemos agir para não nos intoxicarmos com a internet? Como fazer para usar essa ferramenta tão incrível de modo mais saudável? É o que veremos a seguir!

internet

Nosso cérebro também tem limites

Pense numa informação como um alimento qualquer: assim, se ingerirmos este alimento em grandes quantidades, nosso corpo não vai dar conta de digeri-lo. Logo, vamos passar mal! As informações são como o alimento do nosso cérebro, que também tem um limite na sua capacidade de digestão. Para a internet, portanto, vale o mesmo que para os alimentos: a diferença entre o veneno e o remédio está na dose! Precisamos respeitar os limites do nosso cérebro para não sobrecarregá-lo e, com isso, fadigá-lo.

Além disso, são muitas informações vindas de diferentes lados. Consequentemente, estamos também prejudicando a nossa capacidade de manter o foco em uma só fonte por um tempo suficiente. Esse foco prolongado é um dos fatores que possibilitam um maior aprofundamento em algum assunto, por exemplo. Assim, essa grande quantidade de informação vinda da internet, além de nos saturar, está danificando a nossa capacidade de sustentar o foco e a atenção.

Sem conseguir manter o foco sustentado, estamos nos tornando uma sociedade com déficit de atenção. Uma consequência disso é a nossa vulnerabilidade à notícias falsas. Outra consequência é nossa crescente dificuldade de conseguir compreender o ponto de vista que outras pessoas podem ter do mundo. Estamos nos tornando menos aptos ao diálogo e à troca de ideias diferentes. Dessa forma, aceitamos somente opiniões similares às nossas, rechaçando rapidamente aquelas que nos contradizem. Isso faz com que as pessoas se sintam irritadas e sozinhas e cada vez mais fechadas em si mesmas.

A internet e os nossos pequenos

Vemos cada vez mais crianças usando celulares, tablets e computadores. Muitas vezes os pais usam esses aparelhos para ter mais tranquilidade, para que seus pequenos “sosseguem”. Mas será que essa estratégia é saudável a longo prazo? Sabemos que não. A alta exposição aos aparelhos digitais pode gerar consequências ruins, sobretudo em nossos pequenos! Entre elas, encontramos com frequência:

  • Extrema excitabilidade;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade de atenção;
  • Problemas de sono;
  • Desinteresse por outras atividade.

Assim, devemos nos precaver para que isso tudo não ocorra!

A importância da internet

O fato é que, dificilmente, vamos conseguir viver sem estarmos conectados à internet. Nosso trabalho e nossas relações estão cada vez mais dependentes dessa rede digital, ainda mais neste momento de pandemia e quarentena. Além disso, o fato é que a internet pode ser uma ferramenta incrível, sem precedentes na história da humanidade. Hoje, podemos ver aulas, ler livros, ouvir qualquer música, ver com nitidez várias cidades a milhares de quilômetros de distância – sem sair de casa. Foi a internet, é claro, que possibilitou isso.

Assim, na verdade, precisamos aprender a usar as redes sem nos intoxicar com elas. Precisamos colocar limites ativos no tempo que ficamos conectados para não ingerirmos mais informação do que somos capazes de digerir. Precisamos treinar nossa capacidade de sustentar o foco e atenção em objetos monótonos.

Como ter uma relação mais saudável com a internet?

Por fim, tendo tudo isso em mente, podemos dar algumas dicas para que nossa relação com a internet melhore:

  • Pelo menos uma hora antes de dormir e durante as refeições, se desconecte da internet. Principalmente os nossos pequenos, que passam por um período de intenso desenvolvimento cerebral e emocional, precisam desses limites;
  • Ao acordar, tente esperar pelo menos uma hora para abrir seus aplicativos digitais. Tomar o café da manhã com tranquilidade e conforto, preparando-se para a nova jornada que se inicia, é uma ótima forma de começar o dia;
  • Preste atenção no seu mundo interno, reconheça com clareza seu estado emocional e o fluir da sua respiração. Quando ficamos imersos na internet, às vezes nos desconectamos de nós mesmos;
  • Se esforce para compreender pontos de vista diferentes. Tente ouvir o que os outros dizem, mesmo que não esteja de acordo com sua visão. Desta forma, você vai se sentir mais conectado consigo mesmo e com as pessoas ao seu redor.

Quer mais dicas sobre como melhorar o seu uso da internet? Assista ao vídeo abaixo, disponível também no canal de YouTube da Mayra Gaiato:

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Não encontrou o que precisava?

Entre em contato com a gente!