fbpx
Bem-vindo(a)!
+55 (11) 99944 2309

Brincar com crianças autistas – como fazer?

13.01.2021
Autismo Cuidados Dica Outros transtornos Sinais

Brincar é essencial para as crianças! As crianças com autismo precisam aprender a brincar e não usar os brinquedos somente como forma de auto estimulação, só para alinhar, desmontar ou explorar. Muitas vezes, a criança com autismo espalha os brinquedos e não usa com a função para a qual ele foi feita. Assim, é comum que joguem os blocos ao invés de brincar de construir, por exemplo.

Brincar com a criança com autismo pode ser diferente. Elas apresentam déficit na comunicação social – então é isso que precisamos estimular!

Para que uma criança brinca?

Entende-se, na psicologia, que uma criança brinca para repetir situações que foram muito legais para ela, mas também para elaborar situações que foram traumáticas ou dolorosas. Ou seja, brincar tem função prazerosa e elaboradora. A criança expressa seus conflitos pelas brincadeiras e, assim, o terapeuta tem a oportunidade de fazer com ela que reviva os fatos e os internalize de outra maneira.

A brincadeira, portanto, é uma forma direta de a criança representar seu mundo interno. Quando a criança com autismo usa os brinquedos para fazer movimentos repetitivos, olhar brilhos e formas, sabemos que ela está apenas “alimentando” a necessidade de estereotipias ou interesses restritos, e não adquirindo novos repertórios.

Brincar com crianças autistas

Brincar com a criança com autismo pode ser diferente. Elas apresentam déficit na comunicação social – então é isso que precisamos estimular!

Como brincar com crianças no espectro?


É sempre saudável incentivar a autonomia da criança! Assim, comece brincando do que ela mais gosta. Siga a liderança e a iniciativa dela nas brincadeiras. Mostre que você entende o que ela quer e que gosta da ideia que ela teve. Dessa forma, você vai conseguir começar uma brincadeira com a criança com autismo de modo mais natural.

Dica: as atividades sensório-sociais são as preferidas – correr, esconder, jogar para cima, serra-serra, etc. Ficamos bastante cansados após essas atividades, mas esse é um bom sinal! Significa que a criança está brincando com mais energia e mais diversidade!

Depois que a relação de confiança se estabelecer e a criança entender que é super divertido brincar com você, comece a colocar ideias suas, com jogos mais estruturados, por exemplo. A brincadeira é uma ótima forma de estreitar ainda mais nossos vínculos com as crianças. Com ela, ficamos mais próximos dos nossos pequenos e fazemos parte ativa de seu mundo.

E as brincadeiras também podem ser terapêuticas! O segredo é: brincar sem esquecer dos princípios que estão sendo trabalhados na terapia. Busque contato visual, reciprocidade, tenha como objetivo tirar sorriso da criança o tempo todo!

Veja dicas de como brincar com a criança com autismo aqui:

1

Autor(a): Equipe Instituto Singular

Psicólogas e Terapeutas

Esta dica foi escrita em conjunto por algumas psicólogas e terapeutas do Instituto Singular. Todos os artigos deste site são escritos por profissionais especializados em autismo e desenvolvimento infantil.

Mulher e garoto conversando
Anterior

PRT | Pivotal response treatment

Garota brincando de montar
Próximo

Explicando o Transtorno do Espectro do Autismo