fbpx
Bem-vindo(a)!
+55 (11) 99944 2309

Como equilibrar as emoções? Uma reflexão

11.11.2021
Cuidados Dica Outros transtornos
*Artigo de autoria de Dr. Rodrigo Silveira em parceria com a equipe do Instituto Singular 

A raiva, o medo e a tristeza são emoções comuns a todas as pessoas. Porém, quando estão desreguladas, são responsáveis por grande parte de transtornos mentais como depressão e ansiedade. Assim, é muito importante que todos nós saibamos como equilibrar as nossas emoções. 

As emoções são acontecimentos reflexos que desencadeiam uma sinfonia de reações no nosso corpo, como frio na barriga e um coração acelerado. Estas reações suscitam pensamentos, que nos incitam a colocar o corpo em movimento. No caso do medo, as sensações como frio na barriga e coração acelerado suscitam expectativas ruins sobre o futuro. Estes pensamentos que ficam arrastando a pessoa fazem com que as sensações de ansiedade aumentem ainda mais. Isso é perigoso, pois pode até levar a uma crise de ansiedade. 

equilibrar as emoções

Mas quem nunca se deixou arrastar por devaneios sobre o futuro quando sente medo, não é mesmo? O importante nestes momentos é perceber este fluxo de pensamentos ruins que tendem a nos arrastar, nos deixar para baixo. Em vez de ficar debatendo com essas reflexões, precisamos simplesmente observar as sensações do corpo. Se pudermos nomear aquilo que estamos sentindo e percebermos como nosso corpo está sendo atingido por esta emoção, temos mais chance de restabelecermos um equilíbrio emocional. 

Nossa tendência sempre é querer ficar pensando, mas às vezes não é fácil parar de pensar, mudar o foco. Por isso sempre recomendamos a prática de atividades físicas, pois elas ajudam a melhorar sua capacidade de regulação emocional. Quando praticamos algum esporte, nos damos uma folga desses pensamentos, deixamos de tentar prever como as coisas serão no futuro.

O fato é: pensar demais perturba nossa mente. Para regular nossas emoções, precisamos aprender a percebê-las por meio dos seus sinais físicos no corpo. 

Assim, para desenvolver uma melhor capacidade de equilibrar as emoções precisamos “domar” nossa cabeça para focar no aqui e agora das sensações do corpo. Esses exercícios mentais têm ajudado muitas pessoas que sofrem de ansiedade e depressão. A meditações, como a yoga, têm se mostrado tão efetivas quando medicamentos, por exemplo. Isso porque elas nos ajudam a focar no aqui e agora, e não nos deixam arrastar pelos nosso pensamentos intrusos.

0

Autor(a): Equipe Instituto Singular

Psicólogas e Terapeutas

Esta dica foi escrita em conjunto por algumas psicólogas e terapeutas do Instituto Singular. Todos os artigos deste site são escritos por profissionais especializados em autismo e desenvolvimento infantil.

A musicoterapia  tem  sido uma  das  modalidades  terapêuticas  mais  utilizadas  no processo de intervenção e  tratamento de pessoas com TEA
Anterior

Filho com autismo e irmãos sem diagnósticos: como lidar?

Pessoa com cabeça de fumaça
Próximo

Depressão: como diferenciar da tristeza e identificá-la em pessoas autistas