Bem-vindo(a)!
+55 (11) 99944 2309

A importância dos esportes para autistas

17.01.2022
Autismo Dica

Que a prática de esportes é importante para a manutenção da saúde física e mental do corpo humano, isso já sabemos! Mas você já parou para refletir sobre todos os benefícios que os exercícios físicos acarretam no desenvolvimento de pessoas autistas? É o que vamos te contar neste texto!

Quando falamos sobre o autismo, estamos falando de um transtorno no neurodesenvolvimento. Dessa forma, todo o sistema nervoso do indivíduo pode apresentar alterações, se comparado ao de alguém que não está no espectro. Por isso o autismo tem diferentes níveis de suporte e varia muito de pessoa para pessoa – afinal, não só as questões biológicas como também sociológicas são diversas para cada um!

esportes

A dificuldade em se comunicar, interagir com outras pessoas e os interesses restritos são as características mais conhecidas. Porém, além delas, os autistas também comumente apresentam condições associadas a desordens sensoriais e motoras.

Nesse sentido, com a diversidade dentro do TEA, podemos considerar a prática de esportes uma “chave-mestra”: existem casos de condições diferentes, mas todos eles certamente serão impactados beneficamente pela atividade física. Nos próximos tópicos, trazemos algumas informações e dicas sobre o tema!

Como os esportes impactam a vida de pessoas no TEA?

Por ter um caráter interdisciplinar, ou seja, por trabalhar diversas áreas e sistemas dentro do nosso corpo, a prática de exercícios físicos ajuda tanto na saúde física quanto na saúde mental das pessoas com autismo. Além disso, se associado às terapias corretas junto a uma equipe multidisciplinar, o esporte também auxilia no desenvolvimento de diversas habilidades e no reforço de comportamentos positivos!

Podemos citar, por exemplo:

  • Interação social

Além dos benefícios para a saúde como um todo, é inegável o impacto positivo que os esportes têm em uma das maiores dificuldades do autista: a interação social. As atividades praticadas em grupo não só promovem a inclusão, como auxiliam no desenvolvimento de habilidades comunicacionais.

  • Desenvolvimento de habilidades cognitivas e motoras

Os exercícios ajudam no estímulo de diversas áreas do nosso corpo! O autista se beneficia deste fato para desenvolver melhor os seus movimentos, sua atenção e até mesmo no conhecimento do próprio corpo.

  • Ajuda a saúde física como um todo

Não é segredo que os movimentos dos exercícios físicos, se executados apropriadamente, ajudam a manter a forma e a composição mais equilibrada do nosso organismo! Isso é muito importante para a população que está no espectro autista, já que, de acordo com o estudo “Educação Física e conceito de cultura”, de Geraldine Dawson e Michael Rosanoff”, mais da metade das crianças com autismo apresentam sobrepeso – que é causa inicial de diversas condições perigosas!

  • Liberação de endorfina e saúde mental

Sabe por que os exercícios são sempre recomendados nas terapias para ansiedade e depressão? É porque eles liberam a endorfina, o hormônio do bem-estar, e ajudam a controlar a tensão do nosso corpo. Estimativas apontam que pelo menos 13% da população no TEA apresentam sinais de depressão – por isso, os exercícios são muito benéficos para a saúde mental das crianças com autismo!

  • Autoestima e autoconfiança

Por fim, se somarmos todas as consequências positivas do esporte no desenvolvimento de diversas habilidades, é claro que a autoconfiança e autoestima serão elevadas. Quem não gosta de aprender novas habilidades, fazer novos amigos e ainda movimentar o corpo, não é mesmo?

As modalidades e seus benefícios:

  • Natação para autistas

Quer um esporte completo? Invista na natação. Alguns dos seus benefícios se relacionam com a melhora na respiração, o alongamento, o condicionamento físico, o bombeamento de sangue pelo corpo, a concentração, etc.

Quando falamos de crianças autistas, as aulas e os exercícios precisam de adaptação. Entretanto, os pequenos tendem a participar mais ativamente quando há contato visual e instruções mais objetivas.

  • Dança:

Ajuda na coordenação neuromuscular, no fortalecimento dos membros e na flexibilidade. Além desses, a dança contribui para a interação social e criatividade – sem contar o melhor benefício de todos: a diversão!

  • Futebol e basquete

Atividades físicas coletivas são ótimas para proporcionar situações de interação social para pequenos com autismo, além de trazerem benefícios para a coordenação motora. Outra vantagem diz respeito às noções de respeito com o outro, lidar com frustrações e comemorações.

  • Circuitos funcionais

Gosta de atividades criativas e fáceis para adaptar? Então, invista nos circuitos funcionais: são bons exercícios tanto para se fazer individualmente ou em grupo, sem contar que existem muitas formas de montar! Você pode usar bolas, caixas, cordas e cones para integrar as mais diversas atividades na dinâmica.

Os circuitos são aliados na melhora do físico, da concentração, da coordenação motora e da interação social de crianças com autismo.

5

Autor(a): Equipe Instituto Singular

Psicólogas e Terapeutas

Esta dica foi escrita em conjunto por algumas psicólogas e terapeutas do Instituto Singular. Todos os artigos deste site são escritos por profissionais especializados em autismo e desenvolvimento infantil.

Emojis de tristeza e felicidade
Anterior

Os altos e baixos da vida

Garota sorrindo na hora de dormir
Próximo

Melatonina e o distúrbio do sono em autistas